segunda-feira, 24 de abril de 2017

Qual o significado da vida?



Por que estamos aqui? Qual o propósito da nossa vida? Acredito que todo mundo, em algum momento, já deve ter se questionado sobre isso e com certeza não encontrou uma resposta convincente. 

Não estou aqui para te dar essa resposta, mas acompanhe cinco teorias sobre o significado da vida, segundo diversas formas de pensamento, que são muito interessantes e valem a pena serem analisadas e questionadas. 

5 - Hedonismo 


Os hedonistas, acreditam que prazer e felicidade são intrinsecamente valiosos e a dor e a tristeza não precisam ser valorizados. Seu argumento para o sentido da vida é de viver o mais feliz e agradavelmente possível. 

Segundo eles, estamos na Terra por um curto período de tempo, mas que podemos morrer a qualquer momento. Enquanto há pessoas que tem fé de haver uma vida após a morte, não há garantia nenhuma. Portanto devemos tentar ter o máximo possível de experiências prazerosas enquanto estamos vivos. Devemos comer o melhor alimento, apreciar as bebidas mais finas buscando sempre o que queremos. No mínimo, temos que passar nossa vida tentando evitar a dor e os desgostos.

4- Estoicismo 


O Estoicismo é uma escola de filosofia que remonta à Grécia Antiga e foi ensinada por Zenão de Cício. O Estoicismo trata de encontrar a paz interior, pois isso é algo inabalável. 

Outras coisas em sua vida mudarão, como sua conta bancária ou sua carreira que pode mudar de direção, logo que são forças externas que não podemos controlar. Porém nós podemos controlar o que e passa em nós mesmos. 

O Estoicismo é também sobre a superação de emoções destrutivas e comportamentos para alcançar a calma interior. Isso não significa extinguir os sentimentos, mas transformá-lo usando a razão e julgamento claro. 

Alguns estoicos a avançaram na teoria de Zenão e acreditam que estar ativamente envolvido na vida é um componente importante do significado da vida. Ser ativo na vida inclui trabalhar e atender às demandas da vida. Por exemplo, se você dormisse o tempo todo, não estaria vivendo. 

Essencialmente, o Estoicismo trata do autocontrole e está ativamente envolvido na vida. Através disto, você encontrará a paz e você estará livre do sofrimento. 

3 - Existencialismo 


O filósofo dinamarquês Søren Kierkegaard foi o primeiro filósofo existencial e seu argumento foi que a vida não era nada além de uma série de escolhas que fazemos por nós mesmos. Ninguém mais faz essas escolhas, e essas escolhas trazem significado para nossas vidas.

Basicamente, temos que definir o significado em nossa própria vida usando o livre arbítrio, nossas escolhas e responsabilidades pessoais. Além disso, devemos fazer essas escolhas livres de leis, regras éticas e tradições. No entanto, isso não quer dizer que não há consequências, porque obviamente existem.

O Existencialismo é sobre escolher o que você quer fazer com sua vida e como você encontrará o significado, apenas estar preparado para lidar com as repercussões. 

2 - Física 


Jeremy England, professor assistente do MIT, diz que a vida "deve ser tão surpreendente quanto as rochas que caem". Sua teoria é que objetos, como rochas, plantas e animais, absorvem e dissipam energia. As rochas absorvem muito pouca energia. As coisas vivas, por outro lado, são realmente boas absorvendo energia e dissipa apenas um pouco dela.

Quando os átomos são atingidos por energia, como do sol ou de um combustível químico, e eles são rodeados por um banho de calor, como um oceano ou atmosfera (como as condições na Terra), os átomos vão se reorganizar para melhor dissipar a energia. Em certas condições, a reorganização inevitavelmente leva à vida.

Na Terra, esses átomos foram organizados em uma única célula à cerca de 3,5 bilhões de anos atrás, e começou a evoluir e, eventualmente, ramificou-se para se tornar cada espécie única na Terra.

Então é isso. A razão pela qual estamos aqui é porque a vida estava prestes a acontecer em algum momento. Isso é ... um tanto decepcionante.

1 - Projetos de valor 


Susan Wolf é professora de filosofia na Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, e tem uma perspectiva interessante sobre o significado da vida.

Em seu ensaio " Os Significados das Vidas ", Wolfe argumenta que a pergunta "nossa existência tem significado?" Só tem duas respostas possíveis - ou há um Deus ou deuses, que nos criou por alguma razão, ou não há Deus, ou deuses, e nossa existência é aleatória e não tem significado. Dito isto, ela não acha que as vidas individuais não têm sentido.

Um dos seus primeiros argumentos no ensaio é que ela não pensa que a felicidade é um aspecto importante para o significado da vida. Ela aponta para pessoas como Albert Einstein , Madre Teresa e Mahatma Gandhi, que não levavam vidas felizes, mas sugerir que suas vidas não tinham sentido seria ultrajante. Enquanto isso, alguém que fica em casa o dia todo bebendo cerveja e assistindo TV pode ser feliz, mas sua vida não teria significado.

A teoria de Wolf de ter uma vida significativa é ativamente ligada a se envolver em um projeto ou projetos de valores positivos e os projetos devem ser bem sucedidos. 

O que isso significa exatamente? Bem, estar ativamente envolvido deve ser bastante claro, mas o que são projetos positivos? Esse termo é propositadamente vago porque valor significa algo diferente para cada um. Por exemplo, se você odeia esportes, você pode não ver o valor em alguém treinando para ser um atleta de elite. Da mesma forma, se você não lê livros, você pode não ver o valor de alguém tentando escrever um romance. Além disso, o valor positivo não significa que ele tem que ser moral nem necessariamente tem que melhorar a vida para o seu semelhante humano.

Outra parte principal de sua teoria é que você tem que pelo menos ser um pouco bem sucedido em seu projeto. Um exemplo que ela dá é um cientista que passa a vida inteira trabalhando em um único projeto. Em seguida, uma semana antes de ele estar prestes a publicá-lo, outro cientista publica os mesmos resultados que eles descobriram de forma independente. Sua vida seria infelizmente sem sentido.

Wolf diz que por estar envolvido em projetos de valor, em vez de apenas perseguir as coisas que nos fazem felizes, mostra que vemos valor em algo além de nós mesmos, que por sua vez cria vidas significativas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça