terça-feira, 25 de outubro de 2016

Morre o maior capitão do futebol brasileiro

Ele foi o responsável por um dos momentos mais memoráveis de uma Copa do Mundo de futebol, ele foi o capitão de uma seleção que para muitos foi a melhor. Ele foi o autor de um dos gols mais bonito já feitos em um mundial, ele foi e fez muito pelo futebol brasileiro, mas infelizmente sua eternidade ficará somente nos nossos corações. 

Nessa terça-feira 25 de outubro, aos 72 anos morreu no Rio de Janeiro, vítima de um enfarte fulminante, Carlos Alberto Torres, que atualmente era comentarista no SporTV, o nosso Capita, o nosso capitão do Tri. 

Seja como lateral-direito, onde começou na base do Fluminense, seja como zagueiro, ele sempre desfilou pelos gramados uma classe com a bola nos pés em que não ficava para trás nem para um astro do nível de Franz Beckenbauer. Santos, Botafogo, Flamengo e New York Cosmos tiveram em campo a sua classe.

Carlos Alberto era um jogador moderno no seu tempo. Tinha forte poder de marcação, a ponto de poder ter atuado, já como veterano, na zaga. Era também dono de uma rara habilidade e tinha fôlego e capacidade para subir ao ataque como elemento surpresa.

 O gol marcado pelo lateral-direito, o último na goleada por 4 a 1 sobre a Itália na grande final, sintetizou o que o então camisa 4 e toda aquela Seleção tinham de melhor.

Além da conquista pela seleção, Carlos Alberto também conquistou três títulos Cariocas pelo Fluminense, dois Brasileiros, um Rio-São Paulo e cinco Paulistas pelo Santos. 

Como técnico, ele ganhou o Brasileiro de 1983 pelo Flamengo, o Carioca de 1984 pelo Fluminense e a Copa Conmebol de 1993 no comando do Botafogo.

O pais fica profundamente triste pela perda de Carlos Alberto, um jogador lendário e uma pessoa espetacular. 






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça