sexta-feira, 24 de junho de 2016

Reino Unido fora da União Europeia. O que acontece agora?

O Reino Unido através de um plebiscito decidiu sair da União Europeia. Essa decisão histórica mudará completamente suas relações com o mundo. 



O Reino Unido é formado por quatro partes ou países: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte e sua capital é Londres. O Reino Unido tem seu território dividido em duas ilhas no oceano Atlântico, junto à costa noroeste da Europa continental. Na ilha da Grã-Bretanha ficam a Inglaterra, a Escócia e o País de Gales. A Inglaterra se estende ao longo de quase dois terços do sul da ilha. A Escócia cobre o norte, que corresponde a um terço. O País de Gales fica na região sudoeste da Grã-Bretanha.

Na ilha da Irlanda, que fica a oeste da Grã-Bretanha, ficam a Irlanda do Norte (no nordeste) e a República da Irlanda, que ocupa o resto da ilha e não faz parte do Reino Unido.

Bandeira da União Europeia

Já a União Europeia é uma união econômica e política de 28 Estados-membros independentes situados principalmente na Europa. A UE atua através de um sistema de instituições supranacionais independentes e de decisões intergovernamentais negociadas entre os Estados-membros. Instituiu um mercado comum através de um sistema padronizado de leis aplicáveis a todos os Estados-membros. 

Reino Unido fora da União Europeia 




O processo de saída não é automático. Ele deve ser negociado com outros membros do bloco. Essa negociação tem um prazo máximo de dois anos e cabe ser aceito de forma amigavelmente, algo que não é uma certeza.

Nenhum país até hoje deixou a União Europeia e fica uma pulga atrás da orelha para saber como será a relação e o acesso do país ao mercado comum. 

As negociações de saída ainda não tem data de início, mas prometem ser complexas, pois envolvem a rescisão de tratados internacionais e sobretudo de legislação interna britânica.

No meio de tantas incertezas, os líderes europeus temem que o resultado britânico, estimule outros países. 

Os impactos nas nações do Reino Unido 



O placar apertado indica uma imensa divisão entre os britânicos. Houve uma imensa disparidade na distribuição regional dos votos, onde a Escócia votou em peso pela permanência na UE. Em 2014, no plebiscito local, naquele momento a Escócia preferiu não desfazer a união, mas agora pode ser que haja uma nova consulta fazendo com que a Escócia saia do Reino Unido. A Escócia não quer ser tirado à força da União Europeia, então a causa separatista pode ressuscitar. 

Já na Irlanda do Norte, onde 56% votaram para continuar na UE, lideranças favoráveis a uma reunificação com a Irlanda ventilaram a possibilidade de um plebiscito sobre a independência.  

Vamos aguardar as cenas do próximo capítulo, mas é o mundo, em tempo real, sendo modificado geograficamente assim como já aconteceu num passado. Só que dessa vez sem a necessidade de guerras.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça