terça-feira, 7 de junho de 2016

Notícias Populares, o jornal que marcou época



Os mais jovens não vão lembrar, mas o jornal "Notícias Populares" circulou em São Paulo entre Outubro de 1963 e Janeiro de 2001, quando encerrou suas atividades ao perceber a diminuição do interesse do público. Então o Grupo Folha, no qual era a empresa que publicava o jornal, resolveu concentrar o seu jornalismo no recém lançado Agora São Paulo. 

O NP, como ficou conhecido, entrou para a história, pois era muito famoso pelas suas manchetes sensacionalistas e por relatar casos bizarros e abusar de imagens chocantes, conteúdos violentos e sexuais, sempre deixando seu destaque com letras garrafais e linguagem acessível. 

Devido essas características, o jornal criou muitos "inimigos" que acusavam o veículo de exagerar nos noticiários e até inventar notícias. 

Uma das primeiras polêmicas envolvendo o jornal, ocorreu na década de 60 quando a primeira página informou aos leitores o "desaparecimento do cantor Roberto Carlos", que havia sumido em Nova Iorque. A manchete fez o jornal vender cerca de 20 mil exemplares a mais. No dia seguinte, o NP voltou a aproveitar-se do mesmo tema ao lançar a manchete "Acharam Roberto Carlos".


O jornal era tão inusitado que chegou a estampar na sua capa, casos como "Mulher que dá a luz uma tartaruga", "Pau no cu do Collor" e o famoso caso do "Bebe diabo". 




Por falar no "Bebe Diabo", esta matéria foi uma das mais notáveis controvérsias do jornal. Na ocasião, jornalistas aproveitaram-se da notícia de que um bebê havia nascido com deformações para inventar uma série de reportagens que iam se desenrolando ao decorrer das edições. Para os leitores os fatos inventados pela redação do periódico eram apresentados como se fossem verídicos.

Por abusar de imagens chocantes e conteúdos violentos, em um determinado momento o jornal chegou a ser ameaçado de fechamento. Sob ameaça de censura, o jornal usou o editorial em defesa da liberdade de expressão: "Só lê quem quer". 


Em 20 de Janeiro de 2001, o "Notícias Populares" se despediu dos leitores com um editorial na capa. É bem verdade que o jornal marcou época, porém, após sair de cena ninguém sentiu falta. Hoje em dia, rever as manchetes é algo realmente bem engraçado. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça