sábado, 16 de abril de 2016

É golpe ou não?



Não queria mais falar de política aqui neste blog, mas devido a situação que o Brasil se encontra, reforçado pelo o que está prestes a acontecer amanhã, senti essa necessidade. 

Quero primeiramente deixar claro que não sou defensor de nenhum partido ou ideologia política e que não represento nem o lado a favor nem o contra do impeachment. Estou apenas relatando uma notícia que foi destaque na mídia. Sou somente a favor do que for melhor para o país. Apesar que nesse momento não sei bem o que é o melhor. 

O jornal americano "The New York Times" fez uma matéria interessante no último dia 15 destacando que o processo de impeachment da Dilma está sendo liderado por políticos que enfrentam algum tipo de acusação. 

Isso me fez pensar sobre valores. Realmente parece legítimo o processo, mas será que a Presidente é realmente este "monstro" que a mídia brasileira comandada pela Rede Globo fez ela se tornar ?

Que moral tem uma pessoa acusada de corrupção para julgar qualquer tipo coisa ? 

Em outro ponto, esse mesmo jornal diz que Dilma faz parte de uma categoria rara de políticos brasileiros, pois ela não é acusada de ter roubado para si própria, ao contrário daqueles que a acusam.

Talvez esse processo de impeachment seja uma ação nacional sobre a hipocrisia entre líderes brasileiros.

No fim das contas, legítimo ou não, há um caráter surreal nesse processo de impeachment que ocorre aqui no nosso país.

Não sou eu que falei, mas sim um jornal que é isento das buscas de interesses que é nítido haver nos veículos de notícias brasileiros: "Um processo conduzido por parlamentares corruptos, dominado por abusos aos direitos humanos, contra uma presidente que não é alvo de investigação alguma."

Enquanto no Brasil a mídia familiar apoia o impeachment, o maior jornal do mundo denuncia um golpe absurdo. 

Para ver a notícia original na íntegra clique aqui 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça