quarta-feira, 13 de abril de 2016

A propulsão de energia direcionada e as viagens espaciais



A Nasa, agência espacial americana, estuda uma técnica de lançamento de espaçonaves que pode reduzir o tempo das viagens espaciais. Por exemplo, uma viagem para Marte, que atualmente é de seis a oito meses, poderia ser realizada em apenas 30 minutos.

Chamada de propulsão de energia direcionada, essa técnica consiste em disparar um laser de alta potência - entre 50 e 100 gigawatts - em uma espaçonave e, com isso, acelerá-la a uma fração significativa da velocidade da luz, cerca de 30%.

O plano da Nasa é usar essa técnica para explorar exoplanetas que podem abrigar vida e que estejam em um raio de 25 anos-luz.

Ou seja, seria possível visitar a Alpha Centauri, que é a terceira estrela mais brilhante no céu vista a olho nu e está a pouco mais de quatro anos-luz de distância do Sol.

Atualmente, uma sonda como a Voyager, que atravessa o sistema solar, viaja a 1,4 milhões de quilômetros por hora, o que já é muita coisa. E para chegar em Alpha Centauri levaria 70 mil anos e isso não seria viável, porém a propulsão de energia reduziria a viagem para 15 anos. 

Para conseguir levar algo até lá, a Nasa precisaria construir um laser de pelo menos 100GW. Para chegar a essa potência, seria preciso arranjar lasers ao longo de um quilômetro e meio. Essa tecnologia já existe e está longe de ser coisa de ficção científica. 

Apesar da Nasa ainda não ter projetos em andamento para utilizar esse tipo de propulsão na exploração espacial, existem algumas propostas que pode finalmente fazer nós humanos diminuir nossa distância ainda mais em relação ao universo. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça