terça-feira, 4 de agosto de 2015

Dez projetos da Apple que não fizeram sucesso

A Apple é ótima em fazer produtos tecnológicos, não é mesmo? Porém, antes de chegar ao topo, toda grande empresa que se prese costuma falhar em alguns projetos. E com a Apple não foi diferente. 

Pensando nisso, selecionamos uma lista com dez projetos feito por essa gigante da tecnologia que muitos preferem esquecer.

Vamos dar uma olhadinha no passado para relembrarmos o momento no qual a "maçã mordida" ficou aquém da sua grandeza habitual.  

10 - LISA 



Um dos seus primeiros computadores não conquistou o público. Lisa era visto como sendo um grande salto tecnológico à frente do seu tempo, porém, apesar de uma captação promissora, a Lisa revelou-se demasiadamente caro para o mercado empresarial. Vendeu apenas 100 mil unidades. 

09 - NEWTON PDA 



O iPad não foi a primeira incursão da Apple em computação portátil. Em 1987, o Newton MessagePad viu a empresa investir 100 milhões de dólares em desenvolvimento de um novo processador, em um software de reconhecimento de escrita e uma série de novas aplicações.
Apesar de um legado de vários modelos, o Newton não conseguiu entregar o que prometeu. O recurso de reconhecimento de escrita foi um fracasso e contribuiu para que Steve Jobs ficasse um longo período com ódio de canetas (haha). 

08 - MACINTOSH PORTABLE



Lançado em 1989, com uma impressionante e ativa tela de LCD de matriz, viria a ser o principal ponto de venda de portáteis. 
Devido às exigências da tecnologia para a tela, o portátil precisava de uma bateria pesada, com isso, os problemas técnicos com a fonte de alimentação, não permitia que o usuário  recarregasse a bateria.
Além do peso, o preço também conspirou para que ele morresse. 

07 - MACINTOSH TV 



A antiga Tv Macintosh, era uma grande caixa preta que oferecia aos usuários um pc e uma tv. Em suma, ninguém queria, pois você tinha que alternar entre assistir TV ou usá-lo como PC. E mais uma vez o alto preço do produto e um desempenho abaixo do esperado lhe ocasionou a ruína.

06 - APPLE QUICKTAKE 



O QuickTake foi uma das primeiras câmeras digitais no mercado quando foi lançado em 1994. Havia três modelos - o 100 e 150, ambos construídos pela Kodak, e o 200, feita pela Fujifilm.
Para começar, era caro e alguns modelos só tiravam oito fotos em resolução máxima e para completar, você só podia ver as fotos se estivesse conectado a um Mac ou a um PC. Até que foi um esforço corajoso, mas em 1997 o Quicktake foi interrompido. 

05 - COLOSSO 



Em parceria com a Bandai, o Pippin usou a plataforma Macintosh para agir como um console de rede, cujo objetivo principal era a reprodução de mídia baseada em CD, incluindo jogos.
O problema foi que faltou jogos convincentes que pudessem competir contra o Nintendo 64, o PlayStation e o Sega Saturn, além do fracasso como unidade de rede: o moldem era tão lento que os usuários chegavam a esperar até dez minutos para enviar ou receber mensagens. 

04 - MOUSE DISCO DE HÓQUEI



Era um Mouse USB em formato de disco de hóquei, porém sua forma circular não era confortável para segurar, além de ser impreciso. Ele só foi produzido entre 1998 e 2000. 

03 - POWER MAC G4 CUBE 



O Power Mac G4 Cube era um potente PC muito, mas muito bonito. Um pequeno computador que tinha todo o potencial de um modelo maior. DVDs ou CDs eram carregados verticalmente, o que parecia muito divertido na época. Só não fez sucesso porque era muito caro. 

02 - FINAL CUT PRO X 



O "X" não significava "Extreme", na realidade representava a décima versão de interação do imensamente popular software de edição de vídeo Final Cut da Apple. Era usado por editores de Hollywood e cineastas profissionais e tinha uma interface limpa e ferramentas incrivelmente poderosas.
Apesar disso tudo, a Apple conseguiu, nessa versão, arruinar um dos seus produtos mais impressionantes. Simplesmente sumiram com as ferramentas poderosas e apagaram muitas das características que fizeram o software líder de mercado.

01 - APPLE MUSIC 



Esse serviço de streaming da Apple apresenta vários defeitos e falhas no software que, por vezes deixa de reconhecer músicas que o usuário tenha baixado além de apagá-las de sua biblioteca. Apesar disso, ele ainda está em fase de teste, então é cedo afirmar que não terá sucesso. Vamos aguardar até o teste gratuito expirar.  



Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça