segunda-feira, 27 de abril de 2015

As novelas de maiores audiência na Globo

Em celebração aos 50 anos da Rede Globo, nada melhor do que relembrar suas principais novelas - marca registrada do canal.

Sempre líderes de audiência, as tramas cativam os telespectadores e, por diversas vezes, alcançam pontos altíssimos no Ibope.

Roque Santeiro





Em 1985, o sucesso absoluto "Roque Santeiro", chegou a atingir o recorde de 100 pontos de share, ou seja, na medição da participação da emissora nos televisores ligados no momento do folhetim, foi detectado que todos os telespectadores estavam sintonizados no canal carioca.

Ao longo da exibição, a trama manteve média de 67 pontos no Ibope com as histórias da viúva Porcina (Regina Duarte), de Roque (José Wilker) e de Sinhozinho Malta (Lima Duarte).

Império 





A história do Comendador José Alfredo (Alexandre Nero) e da família Medeiros chegou a garantir 45 pontos durante seu período de exibição. 

Amor à Vida





A história da rivalidade de Félix (Mateus Solano) com Paloma (Paolla Oliveira), sua irmã, pela herança do pai, César (Antônio Fagundes), chegou a atingir média de 48 pontos no Ibope com picos de 50. Vale lembrar que o folhetim levou ao ar o primeiro beijo gay em horário nobre - entre Félix e Nico (Thiago Fragoso).

Avenida Brasil 




Em 2012, "Avenida Brasil" alcançou 39 pontos na média de audiência com a história da vingança de Nina (Débora Falabella) contra Carminha (Adriana Esteves). Embora os números não tenham sido tão marcantes, o folhetim repercutiu por todo o País e foi aclamado pelo público.

A Favorita 





Em 2008, "A Favorita" alcançou 40 pontos de média geral. A novela de João Emanuel Carneiro segurou os telespectadores com a pergunta: a grande vilã é Flora (Patrícia Pillar) ou Donatella (Claudia Raia)? Na última semana da trama, o pico de audiência chegou a 48 pontos.

Duas Caras 





Em 2007, "Duas Caras" alcançou 41 pontos de média geral no Ibope com a história da vingança de Maria Paula (Marjorie Estiano) contra Marconi Ferraço (Dalton Vigh). A novela foi um sucesso do começo ao fim, com picos de audiência de até 60 pontos.

Paraíso Tropical 




"Paraíso Tropical", de 2007, garantiu 43 pontos de média geral. A engraçada e cativante Bebel (Camila Pitanga), uma garota de programa que se apaixona pelo vilão Olavo (Wagner Moura), conquistou o público e 'roubou' o lugar das gêmeas protagonistas Paula e Taís (ambas interpretadas por Alessandra Negrini).

Páginas da Vida 




Em 2006, "Páginas da Vida" alcançou média geral de 47 pontos. A história dos irmãos gêmeos, órfãos de mãe, conquistou o coração do público.

Belíssima 




"Belíssima", de 2005, conquistou uma média geral de 48 pontos com as maldades da vilã Bia Falcão (Fernanda Montenegro).

América 




Em 2005, "América" fez o maior sucesso e chegou a alcançar 49 pontos de média de audiência com a história de Sol (Deborah Secco) e seu desejo desenfreado de ir 'tentar a sorte' nos Estados Unidos.

Senhora do Destino 




O sucesso de "Senhora do Destino" em 2004 foi tanto que marcou para sempre a carreira de Renata Sorrah. A trama da vilã Nazaré, que jogava suas vítimas pela escada, atingiu 50 pontos de média e teve picos de audiência de 67.

Celebridade 




"Celebridade", de 2003, alcançou 46 pontos de média geral com as maldades da vilã Laura Prudente da Costa (Claudia Abreu) e sua rivalidade com Maria Clara Diniz (Malu Mader).

Mulheres Apaixonadas 




Em 2002, "Mulheres Apaixonadas" conquistou média geral de 47 pontos e gerou muita polêmica com assuntos como homossexualidade na adolescência e violência doméstica. Quem não se lembra do Marcos (Dan Stulbach) dando raquetadas na esposa, Raquel (Helena Ranaldi)?

O Clone 




Em 2001, "O Clone" trouxe a cultura árabe para o horário nobre da TV Globo e garantiu média geral de 47 pontos à emissora.

A Indomada 




Em 1997, "A Indomada" chegou a 48 pontos de média de audiência com as maldades da vilã Maria Altiva (Eva Wilma). Quem não se lembra do bordão "oxente, mai gód"?

O Dono do Mundo 




Em 1996, "O Dono do Mundo" conquistou 48 pontos na média de audiência com a história do cirurgião plástico Felipe Barreto (Antônio Fagundes). Casado, o bonitão sentia forte atração por Márcia (Malu Mader), uma tímida professora virgem que estava noiva.

O Rei do Gado 




Em 1996, "O Rei do Gado" alcançou 52 pontos de média de audiência com a história de amor entre Bruno Berdinazzi (Antonio Fagundes), o legítimo Rei do Gado, e a boia-fria Luana (Patrícia Pillar), que na verdade era uma rica herdeira.

A Próxima Vítima 



"A Próxima Vítima", de 1995, teve uma média de audiência de 50 pontos e 'prendeu' a todos os telespectadores durante a trama com a pergunta "quem é o assassino?"

Fera Ferida 




Em 1993, "Fera Ferida" conquistou 56 pontos de média de audiência com a história de vingança de Raimundo Flamel (Edson Celulari) - que buscava fazer com que os responsáveis pela morte de seus pais pagassem.

Renascer 





"Renascer", de 1993, fez o maior sucesso e chegou a alcançar 60 pontos de média. A trama trouxe a saga de José Inocêncio (Antonio Fagundes), que do nada construiu um império, e que rejeitava João Pedro (Marcos Palmeira), seu filho mais novo.

Pedra Sobre Pedra 




Em 1992, "Pedra Sobre Pedra" alcançou média de audiência de 57 pontos com a pergunta: "Quem matou Jorge Tadeu (Fábio Jr.)?"

De Corpo e Alma 




O sucesso "De Corpo e Alma", de 1992, alcançou média de audiência de 52 pontos com a dramática história de uma troca de bebês e, claro, com o Clube das Mulheres.

Rainha da Sucata 




Em 1990, "Rainha da Sucata" foi o maior sucesso e atingiu 59 pontos de média com a história de Maria do Carmo (Regina Duarte), uma mulher que saiu do ferro-velho para tornar-se dona de um luxuoso edifício na Avenida Paulista, em São Paulo.

Tieta 





Em 1989, "Tieta" alcançou média de 63 pontos no Ibope. O público amou a volta por cima da protagonista (Betty Faria), que mesmo tendo sido humilhada no passado, voltou com força total para Santana do Agreste com o desejo de fazer perecer todos que a fizeram sofrer.

O Salvador da Pátria 




"O Salvador da Pátria", de 1989, alcançou uma média de audiência de 62 pontos ao contar a história da ascensão do ingênuo boia-fria Sassá Mutema (Lima Duarte) ao poder.

Vale Tudo 



Em 1988, o sucesso "Vale Tudo" chegou a conquistar 93 pontos de audiência em seu capítulo final, que desvendava o mistério do assassinato de Odete Roitmann (Beatriz Segall). Ao longo do folhetim, a média no Ibope foi de 56.

Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça