segunda-feira, 16 de março de 2015

A imagem do cruzeiro resplandece






Eu imagino que, nem que uma pessoa tenha ido passar os dias em Nárnia conseguiu ficar por fora dos protestos desse último dia 15,  uma série de manifestações que vinham sendo organizadas a meses, dividindo opinião de muita gente. E dividindo muita gente, também.

Sabe, aquela de "elite branca, coxinhas, golpistas, anti democracia, mimimi". Tinha quem não dava nada por isso. E, vejam só, mais de um milhão de pessoas na ruas no país todo! A coisa nasceu como um movimento pró impeachment da sra presidente, mas convenhamos, virou mais do que isso. Com tudo que vem acontecendo - inflação, dólar alto, casos de corrupção aparecendo a torto e a direito, e sem receber o merecido cuidado - essa gente toda estava mais demonstrando sua indignação do que qualquer coisa.

Claro, tem todo o negócio... A mulher foi reeleita fazem nem seis meses. Impeachment é a saída? E aquela de intervenção militar? E a tal da reforma politica? Mas e as coisas das promessas? Bem, tem sido isso que dividiu nossa querida internet nos últimos tempos. Com razão, claro. São questões importantes, de um povo que finalmente saiu da inércia politica e percebeu que ser cidadão é mais que pagar impostos. Certo, precisaram roubar todo o dinheiro desses impostos pro pessoal perceber, mas vá la...

Voltando um pouquinho, todo mundo se lembra (até tu, Narniano) do que rolou em 2013. Foi quando toda essa efervescência realmente tomou forma. Foi a primeira vez, em muito, muito tempo, que o povo brasileiro tomou as ruas em busca de seus direitos. Mas era o que falavam na época, era um grande movimento sem direção, sem uma real causa (não era por 20 centavos, mas não sabiam bem por que era também). Bem, vimos um avanço agora nesse sentido. Não é mais uma coisa tão descontrolada, e ainda assim maior. Mas tem a questão das causas... Tem umas estabelecidas, mas o bom-senso indica não apoiar nenhuma. Mas vamos indo.

Pelas contagens, mais de um milhão de pessoas estavam fora de casa vestidas de verde amarelo na ruas, e isso só em São Paulo. Isso não aconteceu nem na Copa, e como isso é bom! Estamos falando de um povo - isso falando massivamente - que fugia quando o assunto era política da mesma forma que a FIFA quando falam de impostos. Falando de novo sobre 2013, é aquela, o povo acordou. Só que ainda não tomou café, ta meio rabugento e com fome.



Como disse, essa efervescência corresponde a esse momento de "despertar". Nisso, vemos essas várias correntes de pensamento, são pessoas racionalizando politicamente e tendo consciência pela primeira vez (sim, isso é exagero, mas nem tanto). É por isso que tem aquele cara pedindo o impeachment, o outro pedindo reforma e o idiota pedindo intervenção. Sério amiguinho da intervenção, não tenho paciência contigo, senta no banquinho, ta de castigo por falar merda.

Entretanto, a coisa não acabou na paulista. Coisas grandes estão vindo por ai, estamos vendo a historia se desenrolar! Sério, no mínimo o filhos dessa geração verão as imagens dos protestos nos livros de historia - só resta descobrir sobre que contexto. Pessoalmente, não sou a favor de nenhuma dessas causas. Elas sugerem mudanças radicais de cenário que não são possíveis, ou dariam tremendamente errado (sim, eu to falando com você, Sr Intervenão!), mas como brasileiro não consigo olhar pra essas fotos, de milhares de pessoas que levantaram a bunda do computador e tiraram os olhos do celular pra fazer ALGUMA COISA sobre tudo isso, e não sentir orgulho. 

Nosso governo é um bela bosta, nossos impostos estuprantes, mas o povo não pode mais ser taxado de imbecil - em parte. Sério, cara da intervenção, o que você tem na cabeça?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça