sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

A São Paulo de 2015



Bons tempos aqueles que o real era como a água e tinha valor! A gente padecia necessidades, mas sabíamos viver como nobres.

Não haviam idas ao médico ou há algum compromisso sério sem dar uma passadinha no "Pão de Queijo" ou como visitar a famosa "Santo Amaro" sem se perder em sua babilônica central.

Quem viveu bem antes de nascer em 2010 sabe que aquelas barracas do Largo 13 de Maio, eram o sonho de consumo dos pobres e a festa de quem se considerava rico por morar nas redondezas.

De uma coisa eu sei: "Como é saudosa a minha infância querida!"

São Paulo, com certeza, era a cidade mais linda e ideal para se morar. Eu lembro de querer crescer logo e ser alguém com compromissos! Queria receber cartas e andar "para lá e para cá."

Santo Amaro era meu "solo sagrado", nasci lá, estudei, deu meu primeiro beijo lá. Pena que hoje sei que esse garoto era gay! (kkk)

Muitas alegrias, sustos e tristezas vivi lá, como quando presenciei as cenas de horror quando a cidade parou devido as ações do PCC.

Conheci pessoas, livros, bibliotecas, ruas e lugares muito interessantes... Além de amizades e flertes...

Posso dizer que vivi muitas das mais loucas e divertidas aventuras, com ares de comédia, lá...

A nostalgia é assim... Viver o déjà vu tão bem memorado...

Não era a vida que eu pedi, mas foi a que eu adorei viver. São 20 anos de amor, ódio pelas coisas, lugares, pessoas, lembranças e manias que "Sampa" e todo os Paulistas e Paulistanos surtiram em mim.

Saudações há um novo, ao futuro, ao seco e ao tão distante lugar mais desagradável e caótico do mundo: O São Paulo de 2015.

Por Priscilla SA 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça