sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Os jogos eletrônicos para o bem das crianças






Em meio a polêmica se jogos de videogame deixam as crianças violentas, o blog trás para você o outro ponto de vista sobre o assunto. 

Nesse final de semana é comemorado o dia das Crianças no Brasil e como jogar FIFA não me tornou o rei do futebol e jogar banco imobiliário não me tornou um empresário de sucesso, selecionamos alguns jogos que podem ajudar o desenvolvimento das crianças nos mais variados aspectos.

Gosto de destacar que tudo que é em excesso faz mal e relacionado aos jogos, não pode ser diferente. Se utilizados com moderação, os jogos eletrônicos causam impactos positivos para o crescimento dos pequenos. 

As brincadeiras colaboram para um crescimento saudável da criança, mas quando o assunto é videogames os especialistas se dividem, deixando os pais com muitas dúvidas. Permitir ou não os jogos eletrônicos na rotina dos filhos?

Pode-se dizer que os games auxiliam no desenvolvimento de funções importantes do cérebro, como o raciocínio lógico, a tomada de decisões e a estratégia, por exemplo. Se os jogos forem incluídos em horários estipulados e com linguagem própria para cada faixa etária, o momento não será apenas de diversão – mas também de aprendizado.

Para muitos pais é difícil estipular uma idade adequada para o primeiro contato com os jogos eletrônicos. É importante reconhecer que a nova geração já vive em um ambiente tecnológico, onde as informações e os estímulos são mais intensos que as gerações anteriores.

Os pais podem estipular dias e horários para seus filhos usarem os jogos eletrônicos. Assim, a criança não perde o interesse em se relacionar com outras crianças.

Proibir as crianças de jogarem não é a melhor solução. O ideal é o monitoramento constante dos pais para esse momento de diversão ser saudável.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça