segunda-feira, 14 de julho de 2014

O que aprendemos com a Copa do Mundo no Brasil?




A Copa do Mundo no Brasil teve seu final realizada na data de ontem dia 13 de Julho sendo decretada, após a vitória de 1 a 0 sobre a Argentina, a seleção Alemã Tetra Campeã. Como em tudo na vida, temos que procurar retirar algumas aprendizagens o blog listará ensinamentos que esta copa realizada em nosso país nos deixou. 

Usaremos como referência uma publicação do jornal inglês  Daily Mail que abordava o mesmo assunto. 

1 - O Brasil já não apresenta mais o melhor futebol


A diferença de qualidade entre o futebol apresentado pela seleção brasileira comparada ao que apresentou outras seleções, demonstrou ser muito grande. A humilhação diante da Alemanha foi a pedra final sobre a realidade atual do futebol brasileiro. Não é de hoje que a seleção não consegue superar tecnicamente equipes como Chile e Colômbia, vizinhos, sem tradição, sem jogadores tão bons, mas com coletivo muito melhor. Pra completar, nosso futebol vem passando um período de escassez de craques. O sentimento é o de que o Brasil não é mais o país de futebol, e agora precisa se reciclar para voltar ao topo do mundo.

2 - Disputa entre seleções ainda tem seu charme


Muitos dizem que preferem assistir ao futebol do seu clube de coração e os campeonatos que o mesmo disputa, eu mesmo era um desses, porém essa Copa do Mundo nos mostrou que por melhor que sejam os campeonatos nacionais pelo mundo, a recepção e carinho da torcida para seleções como Argélia, Costa Rica ou as que tem menor expressão, mostram que seleções também  têm o poder de criar uma comoção tão grande entre as pessoas. 

3 - Só camisa não ganha mais jogo 


Em 2014 seleções como Espanha, Itália e Inglaterra, caíram na primeira fase. Três campeãs mundiais não conseguiram impor camisa sobre trabalho. A Costa Rica foi o exemplo de que, sem tradição alguma, é possível derrubar gigantes.

4 - Precisa ter vontade, mas só isso não basta



Deve haver um equilíbrio entre a paixão, a vontade, a tática e o emocional. A seleção do Uruguai demonstrou a paixão e a vontade de Soarez, a seleção da Costa Rica foi bem taticamente e o lado emocional da seleção brasileira estava abalado. A seleção Alemã equilibrou tudo isso e venceu o torneio. 

5 - O futebol ofensivo voltou e mostrou o caminho



O ímpeto no ataque de seleções como Chile e Colômbia encantou o mundo e deve conquistar mais admiradores daqui em diante. A seleção Alemã que foi a campeã, foi um time que adorava a posse de bola e que jogava para fazer gols, tanto que fez 7 só contra o Brasil. A Holanda também demonstrou muita ofensividade em uma equipe que procurava a todo instante Arjen Robben. 

6 - O futebol não é somente Europa


A fama e prestígio das ligas europeias fazem parecer que o futebol só se resumem a eles. Porém essa copa demonstrou o contrário, onde vimos muitas seleções europeias não tendo bons desempenhos, como foi o caso de Espanha, Itália e Inglaterra e seleções de outras partes do mundo como Costa Rica, Argélia ou Colômbia foram seleções que demonstraram alguns dos posicionamentos táticos mais interessantes. 

7 - Centroavante ainda é realmente necessário?


A Alemanha, que um dia teve Oliver Bierhoff como craque – um centroavante dos menos técnicos das Copas –, agora venceu a Copa ao abdicar da referência dentro da área. Mario Götze entrou como falso 9, em substituição que tirou Miroslav Klose de campo. O jovem, fora da área, foi responsável pelo título no Maracanã. A alternativa do técnico Joachim Löw segue o básico de Pep Guardiola, técnico do Bayern de Munique e determinante influência sobre a Alemanha. Desde que o Barcelona, com Lionel Messi, passou a jogar sem centroavante, diversas equipes do planeta adotaram a medida.
Vale destacar também que camisas 9 como Fred, Higuain, Van Persie entre outros, não tiveram desempenhos de encher os olhos, sendo substituídos muitas vezes. 

8 - Planejamento 


Não há mais sorte ou imprevisibilidade capaz de superar o planejamento. Essa Alemanha começou a ser preparada há 14 anos, em 2000, após o fracasso do time nacional na Eurocopa daquele ano. O episódio se tornou marco para uma revolução no futebol alemão, e até o governo do país atuou nas mudanças. Clubes de primeira e segunda divisão foram obrigados a implementar categorias de base em programa de estruturação do futebol nacional. Quem trabalha bem recebe mais incentivo. O resultado apareceu em campo, onde a Alemanha resgatou o belo futebol da sua era dourada, produziu ótimos jogadores e uma seleção de dar orgulho e o resultado é o título de 2014.



Espero realmente que, após esta copa de 2014 o mundo possa ser influenciado positivamente e o futebol, principalmente do Brasil possa aproveitar o que deu certo e excluir o que deu errado. 

Vários criticaram, mas esta copa deixou alguns legados, principalmente para o futebol. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça