sábado, 5 de julho de 2014

A violência acabando com o talento


Contusões fazem parte do jogo, mas quem jogou futebol sabe que foi algo proposital de alguém que não liga para seu semelhante e colega de profissão. 

Se queria parar o contra-ataque era bem simples, uma carga nas costas, um empurrão ou um puxão de camisa era o suficiente.

O mesmo atleta colombiano que disse que foi uma jogada normal, foi o mesmo que maldosamente acertou em cheio o joelho do Hulk com as travas da chuteira. 

Tem que haver punição, e como disse um humorista, tem que ficar fora até do álbum de figurinhas e do jogo FIFA 14.

Outro caso 

Em 2001, em uma partida entre Atlético PR e São Paulo pelas Quartas de Final do Campeonato Brasileiro daquele ano, o jogador COCITO ficou encarregado de marcar o então estrela do time tricolor KAKÁ. Em uma demonstração de antiesportividade simplesmente COCITO ( que depois foi batizado de COICITO ) tirou o atleta de campo após inúmeras entradas desleais. Kaká com com dores no tornozelo esquerdo, deixou o campo no primeiro tempo. Chorando, tentou duas vezes continuar na partida, mas caiu no gramado e saiu de maca. 




Infelizmente, 13 anos depois a história se repete e o talento é parado pela violência.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça