quinta-feira, 26 de junho de 2014

Famosas teorias da conspiração ou "marmeladas" das Copas

No bar, entre família ou na internet, uma das grandes graças do esporte é o debate. E entre as discussões em que mais o clima esquenta é quando surgem as teorias da conspiração. 

Resultados surpreendentes, em qualquer esporte, acabam com torcedores buscando explicação: Por que o time favorito perdeu? Foi uma entregada?

Como muitas ideias se espalham rapidamente pela internet, resolvemos fazer uma postagem falando sobre o assunto.

Histórias malucas, mistérios jamais resolvidos e fatos que, de tão absurdos, sempre irá se duvidar. Acompanhe:

1 - Copa de 1998 - Esquema Brasil - França 




Poucas teorias da conspiração foram tão difundidas como a da Copa de 1998. Para muitos, é inconcebível que o Brasil tenha perdido no campo a final para a França. A convulsão sofrida por Ronaldo só adicionou elementos misteriosos ao caso, e muitos juram que a seleção entregou a taça para ganhar o penta quatro anos depois ou trocado pelo direito de sediar a Copa de 2006.

2 - Copa de 1974 - Esquema Alemanha Ocidental - Alemanha Oriental 




Já classificada para a segunda fase em 1974, a Alemanha Ocidental teria entregado os pontos em um duelo em que a fraca Alemanha Oriental venceu por 1 a 0. Tudo para fugir de um grupo que teria Holanda, Argentina e Brasil e ficar em um grupo ao lado de Suécia, Iugoslávia e Polônia. A combinação é algo cabível, logo que os países falavam a mesma língua. 

3 - Copa de 1934 - Itália "vitória ou morte" 




A influência do ditador Benito Mussolini na Copa de 1934 é bastante difundida. Entre as histórias, há a de um bilhete ameaçador escrito \"vitória ou morte\", entregue ao elenco italiano. As arbitragens suspeitas pró-Itália em partidas contra Áustria e Tchecoslováquia também teriam o dedo de Mussolini, que teria escolhido ainda vários árbitros do Mundial. A última história dá conta de ameaças ao craque argentino Monti durante a Copa de 30, seguidas de um convite, aceito por ele, para se naturalizar italiano e jogar quatro anos depois.

4 - Copa de 1966 - Inglaterra campeã 




As teorias geralmente colocam o país anfitrião como o beneficiado. Em 1966, uma das Copas mais polêmicas por conta do gol que deu o título aos ingleses, circulou uma tese sobre as quartas de final: um árbitro alemão apitou Inglaterra x Argentina, enquanto um inglês apitou Alemanha Ocidental x Uruguai. Diz-se que tudo foi um acordo, já que os dois países avançaram para as semifinais com arbitragens polêmicas.

5 - Copa de 2002 - Beneficiando a Coreia do Sul 




Nas oitavas da Copa de 2002, a Itália foi duramente prejudicada pela arbitragem que favoreceu a anfitriã Coreia do Sul. O equatoriano Byron Moreno expulsou Totti e anulou gol legal de Tommasi - em seguida, passou férias em Miami com tudo pago, segundo a imprensa italiana. Nas quartas, a Coreia também ganhou com a ajuda da arbitragem, agora de Gamal Ghandour.

6 - Copa de 1962 - Garrincha expulso 




Garrincha foi expulso na semifinal contra o Chile, por agressão, e foi a julgamento sobre o ocorrido, por clamar ter apenas revidado. Principal testemunha, o bandeirinha Estevan Marino não compareceu à sessão - teria sido pago pelos brasileiros - e com isso Garrincha foi absolvido para jogar a final, na goleada sobre a Checoslováquia.

7-  Copa de 1978 - Esquema Peru - Argentina 




Provavelmente, a maior reclamação brasileira na história das Copas. O Brasil deu adeus em 1978 graças a uma goleada que a Argentina aplicou sobre o Peru. Jogando em casa, a Argentina conseguiu uma milagrosa vitória de 6 a 0 sobre o Peru, quando precisava de uma goleada. O goleiro do time peruano, Ramón Quiroga, que nasceu na Argentina, teria recebido uma grana para dar aquela ajudinha aos anfitriões passarem de fase e seguirem rumo ao título.

Algumas histórias tem muito de verdade e outras beiram a fantasia. Cabe a você acreditar nelas ou não.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça