terça-feira, 27 de maio de 2014

Surpresas na Copa do Mundo? Acho que não hein!

Ontem, os jogadores da seleção brasileira se apresentaram na Granja Comary para começarem os primeiros testes e treinamentos para a Copa do Mundo desse ano. 

Com a ansiedade da disputa deste torneio ficamos pensando se o Brasil realmente tem condições reais de conquistar este título. Daí fica a dúvida, será que a seleção brasileira pode ser surpreendida por uma outra seleção que apresentaria um futebol inovador ou por um jogador genial desconhecido?



A resposta é simples e objetiva, NÃO. O Brasil pode sim perder o título em casa, pode não levar a Copa do Mundo, mas ser surpreendido por um futebol inovador ou por um jogador gênio desconhecido, as chances são praticamente nulas.

Explicando melhor a minha tese, eu me remeto a voltar no tempo, no tempo em que os países não eram interligados com a tecnologia da televisão ou da internet.

Houve um tempo em que só podíamos acompanhar o futebol pelas ondas do rádio e, em um tempo mais remoto ainda, essas transmissões só chegavam dias depois. Era difícil ter acesso aos grandes campeonatos de fora do Brasil muito menos de fora do continente. A maioria dos jogos que aconteciam, eram contra times desconhecidos, contra jogadores desconhecidos. A única oportunidade de conhecer novos jogadores eram através das Copas do Mundo, torneio que tinha repercussão mundial.

Em 1938 todos ficaram admirados com um jogador negro que parecia elástico chamado Leônidas da Silva. Em 1954 a pergunta era: " Será possível vencer essa seleção surpreendente da Hungria?" "Quem é Puskas?"

Em 1958 todos foram pegos de surpresas ao conhecerem um tal de Garrincha e um tal de Pelé.

Em 1974 surgiu o futebol total da Holanda liderada por Cruijff que já vinha fazendo muito sucesso na Europa, mas era pouco conhecido do lado de cá do Continente. Dizem até que o futebol que ele apresentou não chegou nem aos pés do que ele já vinha apresentando nos campeonatos locais. E mesmo assim todos ficaram impressionados, imagina se ele jogasse tudo que sabe?


Cruijff e Puskas, craques que surpreenderam um mundo pouco globalizado


Em resumo, nos dias de hoje nós já sabemos quem é que pode surpreender. Nós conhecemos o Messi, nós conhecemos o C. Ronaldo e nossos adversários já conhecem o Neymar. Já sabemos que a Bélgica vem jogando "direitinho" e é cotada como sendo a seleção que pode ser a revelação. 

Conhecemos os principais craques de cada seleção, até mesmo do Japão ou da Austrália. A evolução tecnológica dos últimos tempos nos sujeita a isso.

Não é como antigamente que você esperava quatro anos para ver o que o mundo tinha de melhor. Se a seleção não for da Coreia do Norte ou de Cuba que vivem em um regime mais fechado, dificilmente não será possível prever as "armas" do adversário. Portanto não esperem algo que você nunca tenha visto. Cabe a você continuar apreciando aquilo que você já conhece. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça