terça-feira, 1 de abril de 2014

Overdose melancólica



"É durante a madrugada que tudo se torna um motivo para existir. Tudo vem à minha mente como socos na minha seca e áspera face. É onde as coisas ficam claras e os pensamentos obscuros. É quando eu percebo que se eu realmente morresse, certamente não faria falta. A indiferença me prova isso.

Quero me isolar para ver se faço falta, mas percebo que palavras não são suficientes para que eu não me sinta só.

Me sinto distante e solitária diante de tudo e infelizmente do todo. Sei que não deveria, até porque, essa é apenas mais uma daquelas overdoses de tristezas que inclui nostalgia e melancolia ao mesmo tempo.

Tenho que aprender a lidar com isso. Devo me sair bem desta vez. Me sinto na obrigação de ser feliz, ou pelo menos tentar ser, mesmo com essas barreiras que eu mesmo imponho sobre mim, essas limitações tão estúpidas quanto ridículas de uma jovem tola." 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar, é de graça