terça-feira, 30 de agosto de 2016

Termos para identidade de gênero que você com certeza não conhece



Com certeza ao fazer a leitura deste texto você achará todas as termologias citadas um pouco confusas, pois muitos destes termos tem uma diferença tênue e outros se sobrepõem. Porém esta postagem é de suma importância para entendermos e, quem sabe promover um debate, sobre a complexidade das relações de gênero. 

Apenas citarei 10 deles, mas há quem diga que já existam cerca de 50 termos para distinguir os gêneros já conhecidos. 

Cisgênero (cisgender) 


Alguém que se identifica com o sexo que a sociedade lhe atribui, mas se demonstra aberto (a) ao mundo LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais).

Gênero não-conformativo (gender nonconforming) 


Quando uma pessoa expressa o seu gênero de uma forma que não se encaixa às normas de gênero masculino ou feminino. Tem um significado mais genérico e engloba outros termos mais específicos como transsexual, travesti, drag queen, etc. 

Dois espíritos (two-spirit) 


Este é um termo indígena americano para designar aqueles que teriam ambos aspectos femininos e masculinos. Em muitas tribos, essas pessoas teriam um lugar de honra; pressupõe-se que elas trariam sorte na guerra. 

Andrógeno (androgyne) 


Aqueles que não querem ser nem masculino, nem feminino. Por exemplo, alguém que se veste e age com masculinidade, mas que diz ter sensibilidade feminina. 

Questionando o gênero (gender questioning) 


Quem não está seguro sobre o seu gênero e está explorando. Geralmente se refere a adolescentes em período de experimentação e aos jovens que questionam sua sexualidade. 

Intersexo (intersex) 


São aqueles que nasceram com uma anatomia sexual que não se encaixa com a definição típica de masculino ou feminino. Por exemplo, exteriormente uma pessoa tem todas as características físicas do sexo feminino, mas, por dentro, sua anatomia é tipicamente masculina. Essa condição é, geralmente, descoberta no nascimento. 

Gênero fluido (gender fluid) 


Identidade de gênero descrita como dinâmica, isto é, uma mistura de masculino e feminino. Essas pessoas se sentem como se tivessem uma mistura dos dois gêneros tradicionais; por exemplo, alguns dias, pode se sentir mais como um homem; outros dias, como uma mulher.

Agênero ou Gênero Neutro (agender) 


Ausência de gênero. Independente de a pessoa ter nascido masculino ou feminino, ele ou ela pode se identificar como agênero. Em geral, estas pessoas não estão interessadas na vida sexual física. 

Homem transexual (trans man) 


Alguém que nasceu com o sexo feminino, mas se identifica como masculino. Essas pessoas fazem ou têm o desejo de fazer cirurgias para a mudança de sexo. 

Pangênero (pangender) 


Aqueles que não se definem nem como masculino nem feminino porque eles sentem que são os dois ao mesmo tempo, isto é, um gênero misto. Essas pessoas não desejam ser exclusivamente masculinas ou femininas. 

Sim, é algo realmente para se pensar. Aquela velha opção tradicional entre "homem" e "mulher" vem se transformando. Agora você também sabe que não precisa se conformar aos padrões limitados da opção binária masculino/feminino. 

Lembrem-se que vocês podem ficar à vontade para me corrigir ou acrescentar informações nesta postagem. Abaixo segue a fonte da pesquisa. 

Fonte de pesquisa


quinta-feira, 25 de agosto de 2016

O gourmet da culinária requintada brasileira

Como está em alta os reality shows culinários e nessa última terça-feira teve a grande final do Master Chef Brasil, o blog resolveu entrar também "na onda" desse assunto. 

O que tem de melhor no Brasil são os brasileiros e sua grande criatividade. A realização das Olimpíadas em terras tupiniquins abriu para o mundo mais uma vez um pouco da nossa cultura. Dez em cada dez estrangeiros que aqui vieram, quando perguntado sobre o que mais gostou no nosso país, entre outras coisas, sempre destacam a nossa culinária. 

Pensando nisso, selecionamos 13 pratos que é bem comum encontrarmos na mesa dos brasileiros e que deixam qualquer gourmet "no chinelo". 

1 - Pastel de feira 



Nada como acordar num domingo de manhã e ter esse presente em formato de fritura para te alegrar. Se antigamente a diversidade só passava por carne e queijo, hoje em dia podemos experimentar diverosos sabores que agradam a todos os gostos. 

2 - Strogonoff



Para muitos este é o primeiro prato chique que aprendeu a fazer. Mesmo sendo simples e com ingredientes não tão sofisticados, difícil encontrar alguém que não goste, seja de frango ou de carne. 

3 - Farofa de ovo



Um turista americano uma vez falou que no Brasil tudo se resolvia colocando um pouco de "areia no prato" ao referir-se a nossa farofa. A farofa com ovo é o dueto que preenche seu estômago e o coração ao mesmo tempo. 

4 - Miojo 



O nome correto é macarrão instantâneo ou lamen, mas para nós é o famoso miojo. Quando não se tem nada para comer, ferva aquela água e em 3 minutos está pronto. Para os mais "chiques" que não se contentam apenas com o "temperinho" ainda podem acrescentar ingredientes extras como tomates e verduras.  

5 - Pão com ovo 



Delicioso e injustiçado, o pão com ovo vem superando preconceitos e ainda está em alta na culinária brasileira. 

6 - Pão com mortadela



Uma alternativa para o pão com ovo é o tão popular pão com mortadela ou "mortandela" para os íntimos. Um prato barato e muito gostoso. 

7 - Salsicha ao molho



Só pode ser considerado molho, se for molho com salsicha. Sem essa de molho com carne moída. Molho que é molho tem que ter salsicha. 

8 - Brigadeiro de panela



Essa é a que eu mais gosto. O brigadeiro na panela, a panela no fogão, você de olho nela e ela no seu coração. 

9 - Mandioca frita



Cozida não se destaca tanto, mas quando entra naquela fritura seu sabor enaltece. 

10 - Ovo frito 



Ovo frito ou popularmente conhecido como "zoião" completa qualquer refeição. 

11 - Maionese



A tal salada russa quando chegou no Brasil virou a maravilhosa maionese e ficou muito melhor. 

12 - Frango de padaria



Por um motivo que não sei explicar, seu sabor é muito melhor quando vem da padaria. Não adianta tentar fazer em casa. 

13 - Vinagrete



O acompanhamento mais perfeito que existe é uma mistura de várias coisas. Coloque tomate, coloque um pepino e não esqueça também do pimentão. A cebola não pode faltar também. 

Fonte das imagens


terça-feira, 16 de agosto de 2016

10 tipos de pessoa que irritam no Facebook

Antes de mais nada, esta postagem tem como objetivo somente divertir as pessoas, então se você é um politicamente correto e chato pra caramba, nem precisa começar a leitura. Obrigado. 



Tudo o que temos dessa rede famosa, são pseudos amigos, pois com muitos sequer temos um contato social. Para alguns é apenas um exercício que consiste em clicar  no botão "aceitar".  

Mas aí, depois que você aceitou, já era kkkk. Após isso surge diversos tipos de pessoas que insistem em lotar sua linha do tempo com as mais diversas coisas que, muitas vezes, não são do seu agrado ou é difícil de entender. 

Pior ainda quando você tem que abrir seu aplicativo em um local que possui pessoas que podem visualizar também. Bate aquele medo da vergonha alheia. 

E como excluir essas pessoas sem parecer rude? 

Veja mais esta postagem totalmente excelente e divirta-se muito. 

A mãe da sua ex namorada 

Foto meramente ilustrativa


No início não parece ser um erro, pois você está num relacionamento e acredita que será para sempre. O problema é quando se torna ex. 

Em um primeiro momento, você aceitou o convite porque obviamente ela te marcará naquele álbum de férias. Mas não é tão simples. Ela só tem 48 amigos e gosta apenas de postar clipes de música sertaneja interpretada por uma famosa dupla feminina. Para completar ela curte qualquer besteira que você coloca e ainda faz questão de comentar, independente do nível de humor da mensagem. 

Nível de incômodo: Mais trágico do que problemático

Aquele que só posta "citações inspiradoras" 



Geralmente é aquela pessoa que tem horizontes limitados e não apresenta nenhuma das qualidades motivacionais necessárias para influenciar alguém. 

Nível de incômodo: Você só mantém para compartilhar alguma coisa de vez em quando para influenciar seus amigos do escritório. 

Aquele que só posta seus "rolês" 



"8 de Agosto Night Club"

"10 de Agosto  bebendo com os amigos" 

"15 de Agosto show do Safadão"

Preciso dizer mais? 

Nível de incômodo: Quando eu tiver um final de semana tranquilo, talvez eu vá. Provavelmente não, mas talvez. 

Pai ou mãe coruja com seu bebê 



Eu não sou nenhum tipo de monstro. Eu sei que a chegada de um novo bebê é digno de comemoração, no entanto desde que ele chegou o perfil do seu amigo tornou-se um "alto falante" ligado à vida de seu filho. Como se fosse o "Show de Truman" mas de forma chata. 

"Olhe para o baby fulaninho dormindo" 

"Olha o novo brinquedo do baby fulaninho"

"Outro dia brilhante no parque com baby fulaninho!"

A verdade é que você perdeu a relação que você tinha com seu amigo antes do baby fulaninho chegar. Você tem vontade de bloquear as mensagens ou exclui-las, mas no fundo você ainda está esperando que seu velho amigo ressurja e volte a ser um adulto funcional. 

Classificação de aborrecimento: Apenas aceitar que eles mudaram e tentar seguir em frente.

Aqueles que gostam de curtir suas fotos velhas 



Jubileu acaba de reagir a sua foto. "Momentos de diversão" 

Sim, você está ali na foto, mas é uma foto de uma viagem escolar que você fez em 2009. 

E geralmente é aquela foto que sequer aparece nas memórias do Facebook e que ele faz questão de cavar no seu passado. 

Ei Jubileu, porque você está passando pelas minhas fotos antigas? Você poderia ter simplesmente ter me mandado um "oi quanto tempo!" na caixa de mensagem. Mas você faz questão de me envolver nessas suas atividades esquisitas dando like em fotos antigas. 

Você é estranho Jubileu, pare com isso! 

Classificação de aborrecimento: Ele provavelmente deixará passar mais uns 8 anos e aparecerá em 2024 com um comentário sobre uma foto velha kkk

Aquele que abre debates sem sentido sobre política 



"O problema com este país é ..." 

Aposto que você sequer lê mais do que essa frase inicial kkk. Você sabe que geralmente ninguém estará certo na discussão e que seu amigo só quer criar um debate contra você. Ele está irritado com o sistema, irritado com o homem, irritado com o mundo, com a vida e ninguém lhe colocou no comando das coisas. 

Ele ocasionalmente envia discussões que só pode ser descrito como sendo "um pouco preconceituosa" e da última vez que alguém tentou debater, foi taxado como politicamente correto.

Classificação de aborrecimento: Um dos piores. 

A menina que posta notícias estranhas. 



Na vida real é uma menina agradável, sensível e articulada, mas basta dar uma passada em seu feed de notícia que pinta um quadro totalmente diferente dela: notícia sobre espinhas gigantescas, vídeos de depilação absurdas ou de bicho saindo pelos pés das pessoas. 

Você nunca tem certeza de como deve tratá-la, pois tem medo do que ela pode esconder por debaixo de uma personalidade pública normal. Será que ela está bem? Ou ela está gritando por socorro?

Na realidade ela está bem, mas prefere assistir coisas que tem pus ou sangue no nome. Ela é um monstro kkk 

Classificação de aborrecimento: Você até pode bloquear suas imagens, mas de vez em quando ela pode postar algo que é realmente interessante.

Aquele conhecido que pode ser útil um dia em relação a oportunidade de trabalho 



Ele é um cara legal que você esbarrou em algum momento num barzinho talvez. Muitas vezes vocês tem pouco em comum, por isso não costuma conversar com ele.

Mas você vai excluí-lo? Não! Pois ele ainda trabalha naquela empresa que você sonha em trabalhar um dia. 

Não que ele tenha um cargo relevante, mas vai que né ... Portas podem ser abertas. 

Nível de aborrecimento: Você é o irritante nessa relação kkk 

Aquela pessoa que não sabe escrever direito 



Basta apenas algumas palavras para você perceber que aquela pessoa não tem total conhecimento das regras linguísticas kkk.

Você não quer ser mal educado, pois você sabe que ela é apenas vítima de uma sociedade que tem um sistema de ensino ruim kkk. Sabe que aquela pessoa vivia na diretoria e que não era alguém muito brilhante, então não cabe a você ser um corretor ortográfico de longo alcance para corrigir suas numerosas atualizações de status. 

Mas você gosta de observar os outros comentários que apontam esses erros kkk. 

Classificação de aborrecimento: Não me "correge" 

O amigo vegano



Você é daquela pessoa que come de tudo, mas seu amigo parece passar o final de semana em um protesto vegano. Tem uma conta no instagram que gira em torno de suas últimas posições de ioga favoritos e imagens de vacas tristes. 

Uma vez você postou um artigo sobre as " 10 melhores comidas feitas com bacon" e ele entrou com um discurso com 12 parágrafos sobre o impacto ambiental da criação de suínos. Você responde com a imagem de um Big Mac e ele te chama de infantil kkk.

Classificação de aborrecimento: De vez em quando ele posta umas receitas, mas você não tem certeza se vale a pena ou não comê-la ou manter esse relacionamento. 





terça-feira, 9 de agosto de 2016

5 momentos de tolerância que já aconteceram nas Olimpíadas do Rio

Os jogos olímpicos de 2016 mal começaram e já estão dando um show de aceitação. Depois de uma abertura cheia de diversidade, com mulheres negras na liderança e LGBTs em destaque, atletas e organizadores também protagonizam cenas de tolerância. Veja algumas dessas histórias: 

1. Coreanas unidas




Deixando a rivalidade entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte de lado, as ginastas Hong Un-jong (norte), 27,  e Lee Eun-ju (sul), 17, ficaram amigas: elas foram vistas rindo e conversando durante os treinos, e até aproveitaram para tirar uma selfie poderosa, no último dia 5.

2. Muçulmanas podem, sim!




No vôlei de praia, a delegação feminina do Egito fez história. Apesar de terem perdido os dois jogos que disputaram, Dooa Elhgobashy, 19, e Nada Meawad, 18, foram as primeiras mulheres egípcias a competir na modalidade em uma Olimpíada. Enquanto as duplas adversárias (alemãs e italianas) jogaram com o tradicional bíquini, as egípcias adaptaram o uniforme: calça, blusa de manga comprida e véu, para não desrespeitar a própria religião.  E elas nem ligaram para os 30 graus das praias do Rio de Janeiro: "na Nigéria [onde já competiram] fazia 42 graus", disseram em entrevista ao Globo Esporte.
Na foto, Doaa e a alemã Kira Walkenhorst, de 26 anos, disputam a bola.

3. Pedido de casamento lésbico




O rúgbi feminino brasileiro pode até ter ficado em 9º lugar, mas o amor ganhou medalha de ouro. No final da partida, Isadora Cerullo, 25, atleta do rúgbi, recebeu um pedido de casamento da namorada, Marjorie Enya, que estava trabalhando como voluntária no estádio Deodoro, no último dia 8. "Quero mostrar que o amor vence", disse Enya - tudo isso em pleno mês da visibilidade lésbica. Vale lembrar que esta olimpíada é recordista em número de atletas LGBT assumidos: são 45 no total. 

4. Tapa na cara do racismo




O primeiro ouro do Brasil nessa olimpíada é dela: Rafaela Silva. Mulher, negra e periférica, a judoca criada na favela Cidade de Deus já foi vítima de racismo na olimpíada de Londres, em 2012, quando foi desclassificada por aplicar um golpe irregular - e, no Twitter, os torcedores brasileiros atacaram, dizendo que ela deveria "voltar para a jaula". Mas Rafaela não desistiu: continuou treinando e, com o primeiro ouro do país no evento de 2016, deu um tapa na cara dos racistas. 

5. Respeito aos voluntários LGBT





Logo na abertura, o comitê deixou bem claro: pessoas LGBT serão aceitas no evento. Tanto é que quem puxou a delegação de atletas brasileiros foi Leandra Medeiros Cerezo, conhecida como Lea T - uma modelo negra e transexual maravilhosa. E ela não foi a única trans a ser respeitada: Kamila Barros, que também é trans, é voluntária no Forte Copacabana e elogiou a aceitação de seu nome social pelos outros voluntários e pelo Comitê Olímpico.

Vi aqui 

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Alguns povos indígenas do Brasil e suas culturas

Acho que desde que criei este blog que eu tenho vontade de fazer um texto falando sobre os indígenas e nunca tive a oportunidade ou a inspiração necessária. Acredito que há um leque muito grande do que eu poderia falar sobre eles, porém eu optei por algo bem breve e que falasse um pouco das suas culturas. 

Acessem este site que é muito bom. Foi de lá que tirei as informações abaixo: 


ASHANINKA



Os Ashaninka em sua maioria vivem no Peru e somam mais de 90 mil pessoas. No Brasil, há cerca de 1000 Ashaninka que vivem em cinco Terras Indígenas, todas na região do alto Juruá, no Acre. Eles falam uma língua da família Aruak e seus trajes tradicionais se chamam kushma. 

ASURINI do XINGU 



No total, há apenas 154 indígenas Asurini, que vivem em uma aldeia no rio Xingu, no estado do Pará, na Amazônia. Eles se distinguem pela sua criatividade, que aparece especialmente em desenhos e pinturas. Eles decoram corpos e objetos com desenhos geométricos, que representam elementos da natureza e seres sobrenaturais. A língua Asurini pertence ao grupo das língua Tupi-Guarani. 

KARAJÁ 



Antigos moradores das margens do rio Araguaia, nos Estados de Goiás, Tocantins e Mato Grosso, formam um grupo de 3198 pessoas. Falam uma língua que pertence ao tronco linguístico Macro-Jê. Os dois círculos tatuados na face são uma característica marcante do grupo, que também possuí belas pinturas corporais. 

KRAHÔ 



Os Krahô vivem na Terra Indígena Kraolândia, no Estado do Tocantins. São um grupo de aproximadamente 2500 pessoas falantes de uma língua da família Jê. Vivem em aldeias de formato circular e são muito conhecidos pelas corridas de toras que fazem todos os dias, logo depois de caçar, pescar ou trabalhar na roça. As toras, feitas normalmente com o tronco do buriti, são preparadas e enfeitadas com muito cuidado pelos Krahô. 

YANOMANI 



São cerca de 35 mil pessoas e vivem na região montanhosa que divide o Brasil da Venezuela. Falam 4 línguas da família linguística Yanomani, vivem da agricultura , caça, coleta e pesca, e têm exuberante vida ritual. Seus adereços e pinturas corporais são como "trajes de gala" utilizados em diferentes cerimônias.  

MATIS 



Os Matis somam 390 pessoas que vivem na Terra Indígena Vale do Javari, no Amazonas. Falam uma língua da família Pano. Todos se reconhecem como mushabo ("gente tatuada") ou wanibo ("gente da pupunha"), pois possuem tatuagens no rosto feitas com o espinho da palmeira da pupunha, um desenho que marca seu pertencimento ao grupo.

XIKRIN KAYAPÓ



São 1800 índios, aproximadamente, que vivem nas Terras Indígenas Cateté e Trincheira Bacajá, no Estado do Pará. Os Xikrin, falantes de língua Kayapó, enfatizam a audição e a palavra e, por isso, perfuram orelhas e lábios logo na infância. As mulheres são responsáveis pela elaborada pintura corporal e dedicam muito tempo para realizá-la.